sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

CUIDADOS NA ESCOLHA DO CONJUNTO RELÉ, PROTETOR TÉRMICO E CAPACITOR.

Componentes Eletronicos

Os componentes elétricos têm papel essencial no funcionamento dos compressores. Por esse motivo, o diagnóstico feito pelo refrigerista em qualquer sistema de refrigeração deve incluir uma verificação cuidadosa do estado e da correta aplicação do relé, capacitor de partida e protetor térmico, assim como, em alguns casos, do inversor.
Para começar, é importante lembrar que nem todos os compressores utilizam capacitor de partida e capacitor de funcionamento, e que existem diferentes tipos de relés, PTC, além dos dispositivos TSD (Time Starting Device), usados em modelos de alta eficiência. Também os protetores térmicos podem variar entre os de 3/4 e o 4TM.
Outra informação fundamental é que compressores da mesma família e com capacidades semelhantes nem sempre utilizam os mesmos componentes elétricos. O conjunto elétrico é determinado com base na voltagem, frequência e envelope de operações do compressor (L/M/HBP). Ainda, na mesma família, existem modelos que trabalham com baixo torque de partida (LST) ou com alto torque de partida (HST), o que acarreta diferenças como, por exemplo, o uso obrigatório de capacitor de partida ou a existência de pontes para os relés, ligando terminais.
Por isso, quando for preciso fazer a reposição, deve-se sempre consultar a ficha técnica dos compressores no catálogo eletrônico disponível no site da Embraco. Para essa pesquisa, as informações chave são modelo, voltagem e frequência, que estão disponíveis na etiqueta do compressor.
Quando existe a necessidade de substituição, não se pode improvisar ou recorrer a uma solução que não é a recomendada. Esse procedimento pode causar sérios problemas, incluindo a queima do compressor. Também deve ser dada atenção especial à montagem dos componentes. De maneira geral a sequência é a seguinte:
•Monte o dispositivo de partida e o protetor térmico;
•Faça a conexão elétrica do capacitor a ser aplicado;
•Efetue a montagem do suporte e capacitor.
Mas é preciso verificar as características específicas de cada modelo de compressor e, em função disso, saber os detalhes dessas três etapas.
Erros comuns na escolha dos componentes elétricos:
1. Considerar que modelos de compressor com potência do motor igual usam os mesmos componentes elétricos.
Exemplo: quando se coloca o conjunto relé/protetor de um compressor EMI30ER, para blends e aplicação em baixa (LBP), em um modelo EMIS30HHR para R134a e aplicação em baixa/média/alta (L/M/HBP), o Kit elétrico não irá funcionar da maneira adequada. Em outras palavras, o  protetor térmico pode não atuar ou o motor de partida não desligar no momento apropriado, gerando a queima do compressor.

2.
Usar um capacitor de menor voltagem que a especificada.

Exemplo: para substituir um capacitor de 88-108 μF e 150V, algumas vezes o refrigerista opta pelo modelo de 120 V. O correto seria usar o capacitor de voltagem igual ou superior, indicado para suportar os picos de voltagem do ciclo normal liga-desliga e evitar os riscos de danificar o compressor.

3. Não levar em conta o tipo de fluido refrigerante usado no compressor.

Exemplo: componentes elétricos para compressores de 1/5 HP para misturas (blends) e R134a são diferentes. A utilização do conjunto relé/protetor térmico errado pode provocar um desligamento prematuro ou o não desligamento em situações em que ele seria necessário.
FONTE: Clube da Refrigeração

Um comentário: